Header Ads

Header ADS

Polícia Civil: Equipes do Serviço de Investigações e Capturas realizam operação para recuperar objetos roubados em Guajará-Mirim


Durante a manhã desta quarta-feira (27), equipes do Serviço de Investigações e Capturas iniciaram uma operação para recuperar objetos e prender suspeitos envolvidos nos matérias furtados da Comercial Potosí, de um Escritório localizado no complexo do Posto de abastecimento do SINVAL, e no furto que ocorreu na Loja Souza Móveis, localizada na Avenida Nossa Senhora de Fátima no bairro 10 de abril.

A operação começou por volta de 06h00min da manhã, e contou com 03 equipes de Investigadores da Primeira Delegacia de Polícia Civil, que saíram para cumprirem mandados de busca e apreensão.

As buscas iniciaram pela residência e um rapaz de 22 anos, identificado como Luiz Ângelo Lima Ferreira, que é sobre quem recaem os furtos que ocorreram na Potosí onde as imagens de segurança mostram a ação dele na companhia de outro elemento, e também a participação deles no furto de um escritório no Posto do Sinval, e na Loja Souza Moveis.

Quando os policiais chegaram à casa de Luiz, ele tentou fugir do cerco policial, entrando em um dos cômodos da casa, mais pelo lado de fora da residência os policiais informaram que a desobediência, obrigaria uma ação policial forçada, e assim aconteceu, os policiais tiveram que invadir a casa já que Luís se negou a abrir a casa.

A ordem judicial foi apresentada e as buscas foram iniciadas. No quarto de Luiz, a polícia encontrou um tesourão de cor amarela e um pé de cabra, objetos comumente usados em arrombamentos de comércios e residências.

Na casa também tinha uma motocicleta HONDA BROS COR PRETA NEB 1218, que as imagens de câmeras de seguranças da empresa Potosí, mostram que a moto foi usada durante o furto com arrombamento na loja, e a polícia trabalha para provar que ela era também usada em outras ações criminosas.

Luiz foi convidado a comparecer na delegacia de Polícia Civil para esclarecimentos e ajudar a polícia entender nas investigações que recaem sobre ele.


Luís foi à delegacia, mas se apresentou acompanhado de um advogado, e confessou ter participado do furto a loja SOUZA MÓVEIS, e também do furto a Loja de Materiais de Construção POTOSI.

Luís disse que o furto contou com participação de Wesley Dourado Rodrigues de 25 anos, conhecido por marceneiro, preso na última sexta-feira, mas Luís só assumiu os furtos das empresas quando os Policiais Civis informaram que existia um rastreio de sua tornozeleira de monitoramento, que indicou exatamente o dia e horário dos fatos registrados no circuito de monitoramento daquela loja.

A polícia já tinha a informação da participação de Luís nos furtos, bem antes que ele assumisse, tendo em vista que na sexta-feira (22), quando os policiais recuperaram um amplificador de áudio pertencente à LOJA SOUZA MÓVEIS,Wesley detido naquele dia já tinha confirmado o envolvimento de Luiz nos três furtos.

Diante destas informações, Luiz disse que parte dos objetos estaria de posse de um terceiro elemento Gleybson Dourado Rodrigues de 25 anos, irmão de Wesley preso na sexta-feira.

Luiz disse que Gleybson, tinha total consciência que os produtos eram furtados, diante dessas informações a equipe de investigadores se deslocou até a residência de Gleybson, na Avenida Antônio Luís de Macedo no bairro de Fátima.

Na casa Gleybson, os policiais foram atendidos pelo pai dele, e os agentes informaram que o filho dele era objeto de investigação policial, e aí a esposa de Gleybson que estava no local, entregou aos policiais uma panela de pressão elétrica deixada por Wesley, objeto pertencente à LOJA MÓVEIS SOUZA.

A mulher também autorizou a entrada dos policiais no interior do recinto, onde ainda foi encontrado um violão elétrico GIANINI, que estava escondido no guarda-roupas dentro no quarto e um televisor AOC 32”, todos pertencentes a loja SOUZA MÓVEIS.

Os policiais observaram que as caixas do televisor e da panela de pressão, que estavam no forro da residência, tinha a inscrição da razão social da loja MÓVEIS SOUZA.

Durante as buscas Gleybson chegou a casa e disse aos policiais que os todos os objetos foram comprados de Luiz Ângelo, recaindo sobre ele assumidamente o crime de receptação de objetos roubados.

As investigações prosseguiram, e os policiais voltaram a residência de Eduardo de Lima Freitas de 21 anos que já via sido detido na sexta-feira, e Eduardo descreveu em detalhes os furtos que a polícia investigava, na casa dele os investigadores da Polícia Civil localizaram o capacete utilizado por Wesley no crime contra a loja POTOSI e Outros pertencentes que devem ser peças de inquérito policial.

Os policiais optaram pela apreensão do aparelho celular de SAMSUNG A50 BRANCO pertencente a Luiz Ângelo e aparelho celular SAMSUNG J4 DOURADO, pertencente à esposa dele, tendo em vista que existem  fortes indícios de que a esposa de Luiz Ângelo tenha garantido vantagem pessoal pelo crime do marido.

Por fim os policiais informaram em ocorrência policial que Eduardo já tinha sido conduzido para a delegacia de polícia na ultima sexta-feira por está na posse de um dos objetos roubados, mas na sexta-feira não foi possível o prender o mesmo, em virtude da vítima não ter apresentado documentação comprobatória do objeto recuperado.

O Chefe do Serviço de Investigações e Capturas, Victor Vasques, informou ao site Agora Guajará, que delegada Luanda Luíza Mota Ximenes tem mantido um contato direto com o SEVIC e que as investigações continuam.

Fonte: Agora Guajará

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.