Header Ads

Header ADS

Durante Pandemia, População e Servidores da Saúde denunciam descaso da Administração Pública Municipal de Guajará Mirim.


No dia 13/05/2020 -  Uma enfermeira e um farmacêutico durante o plantão noturno no Hospital Regional de Pronto Socorro, acionaram uma guarnição policial militar, ambos denunciaram a falta de EPI,S para atendimento a população, em pleno pico da mortalidade que assolava o município, relataram que acionaram a direção do hospital, a qual relatou a equipe de profissionais que estava ciente da falta de EPI,S porém nenhuma providência foi tomada naquela data, restou concluir o turno de serviço em meio a exposição da saúde própria ao contagio pela enfermidade a qual combatiam. Obs: Naquela mesma data houve 01 óbitos.

No dia 15/05/2020 –  por volta das 13h29min compareceu na 1ª Delegacia de Polícia Civil de Guajará-Mirim, um servidor público municipal, lotado na cozinha do HPS/GM, buscando providencias da autoridade policial, relatou que vinha do Hospital Regional de Guajará-Mirim, onde a filha de 8 meses de idade, se encontrava internada na ala da pediatria, acompanhada pela genitora. O cidadão relatou durante o registro da ocorrência, que na sala logo ao lado, haviam duas pessoas internadas com suspeitas de estarem acometidas pelo Covid-19. O comunicante temia que a proximidade entre as salas, a precária ventilação, pudesse contribuir para contaminação de seus familiares pelo vírus. 
No dia 25/05/2020 – Um enfermeiro que se encontrava de serviço, no Hospital Regional e Guajará-Mirim, acionou uma guarnição da policial militares, e relatou que por volta das 19h20min daquela data, o fornecimento de energia elétrica foi suspenso pela concessionária, sendo restabelecido apenas 01h20min após, já por volta das 20h40min, durante a ausência de energia elétrica, permaneceram apreensivos, pois o gerador de energia do hospital, permaneceu inoperante, para se resguardar de responsabilização, resolveu registra o fato.

No dia 31/05/2020 –um enfermeiro estatutário lotado no Hospital Regional de Guajará-Mirim, procurou a 1ª Delegacia de Polícia Civil, para denunciar a falta de condições ofertadas aos servidores de saúde empenhados no Combate a Pandemia do Corona Vírus, relatou a falta de: medicamentos, monitores cardíacos de saturação, umidificadores de oxigênio, máscaras de oxigênio, e outros, que havia denunciado tais fatos nas redes sociais, através de um vídeo postado em sua página pessoal na plataforma Facebook e na imprensa de grande circulação. Que na data anterior 30/05/2020, nas dependências do local de trabalho, encontrou o Secretário Municipal de Saúde Douglas Dagoberto de Paula, o qual estava entregando alguns aventais. Que na ocasião foi assediado moralmente pelo superior hierárquico, que ao avista-lo o indagou se queria ser Secretario de Saúde ao postar os vídeos na internet, disse que sabia de processos que suspostamente o enfermeiro responde, disse ainda que, poderia fazer os processos em desfavor do denunciante, correrem na justiça de forma mais rápida, todo o desenrolar se deu na presença de dois outros servidores, um farmacêutico e um auxiliar de farmácia.

No dia 01/06/2020 - . Por volta das 09h53min, Uma Técnica de Enfermagem lotada no Hospital Regional de Guajará-Mirim, disse que vinha exercendo atividade de combate ao Covid, sem as condições mínimas de proteção individual, que em decorrência acabou contraindo o vírus, e consequentemente acabou retransmitindo a familiares.

No dia 01/06/2020 - Após o óbito do senhor de 75 anos, causado pelo agravamento do COVID-19, familiares utilizaram as redes sociais para denunciar o descaso em que se encontra a saúde em Guajará-Mirim, em especial o Hospital Regional de Pronto Socorro. Familiares relataram a falta de ambulância adequada para transporte até a capital do estado de Rondônia, ausência de sala UTI, ainda que ouviram do médico plantonista, que o respirador estaria quebrado, denunciou ainda a desorganização no combate à doença por parte da Prefeitura através da Secretaria Municipal de saúde.

No dia 07/06/2020 – A conselheira municipal de Saúde Sandra Reis, publicou vídeo nas redes sociais, denunciando falta de EPI, S, medicamento, insumo, entre outros.

No dia 07/06/2020 - O Conselheiro Municipal de Saúde Eder Marreiro, denunciou que o Hospital de Campanha para o Covid-19, com inauguração amplamente divulgada em sites de grande audiência, e até mesma na página oficial do Município na Plataforma Facebook. Disse ainda que as instalações não possuem as condições mínimas para acomodar os pacientes que por ventura venha precisar ser internado e passar por Terapia Intensiva, não havendo nem mesmo rede de energia elétrica.

No dia 08/06/2020 – Um dos vários cidadãos de Guajará-Mirim, que procuram atendimento e suporte de medicamentos para tratamento do Covid-19, na rede pública municipal, recebeu a informação da farmacêutica de plantão do posto de saúde Carlos Chagas, que não havia os medicamentos a ele receitado, indignado o paciente solicitou que tudo fosse constado por escrito e pediu uma via.

Muitas outras denuncia foram levadas ao público através da imprensa, dentre essas muitos servidores relatarão que estão tendo que custear com recursos próprios, a aquisição de EPIs básicos como: Máscaras cirúrgicas, tocas e luvas, no comercio local, materiais esses que a Prefeitura constantemente relata que, apesar de ter dinheiro em caixa, não encontra no mercado fornecedores com disposição à venda.


Neste dia 09 de Junho foi divulgado que Guajará-Mirim-RO, tem 453 casos confirmados, 150 curados, 40 aguardando resultado, 139 descartados, 310 testes realizados e 28 óbitos.


Fonte: Portal Guajará/Agora Guajará.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.