Header Ads

Header ADS

Mais de 5 mil pessoas devem receber atendimento ao longo do Rio Guaporé na 20ª missão do Barco Hospital em Guajará-Mirim

 


O coordenador Chefe da Unidade de Saúde Social Fluvial Walter Bártolo Giovani Guastala, disse que até o fim da 20° Missão do Barco Hospital os profissionais que fazem parte da equipe devem atender aproximadamente 5000 pessoas, e ultrapassar de três mil procedimentos.

A 20° Missão que é realizada no Polo II, que compreende a Pimenteiras e Forte Príncipe, conta com clínico geral, atendimento de farmácia, laboratório, dentista com RX, uma equipe do Tudo Aqui que realiza emissão de documentos como RG, segunda via do CPF, emissão de Passe livre do idoso e PNE, e ainda Segunda via de certidão de nascimento e casamento e Carteira de trabalho, tudo graças ao apoio do Exército brasileiro, Tudo Aqui, e Sipan, prefeitura de Pimenteiras especialmente prefeita Valéria, Detran e Sepog de Guajará-Mirim.


De acordo com o coordenador o público alvo dos atendimentos são os quilombolas, ribeirinhos. Durante a viagem da embarcação, os pacientes terão direito a consultas médicas gratuitas de odontologia, exames preventivos, pré-natal, e testes rápidos para Covid com pessoas que apresentam sintomas, além de serviços de cidadania.

Os atendimentos começaram em Pimenteiras, e devem terminar em Forte Príncipe, onde o Governador Marcos Rocha e o Secretário Estadual de Saúde Fernando Máximo devem acompanhar os trabalhos da equipe.



Giovani fez questão de frisar o apoio do Governo de Rondônia através da Secretária de Estado da Saúde e de vários outros órgãos de forma direta ou indireta apoiaram a realização desta missão.

Para melhor atender às famílias e garantir a segurança nesse período de pandemia, todas as estratégias já foram adotadas segundo o coordenador, para o sucesso da missão. “Antes de cada ação fazemos um planejamento adequado a cada situação. Nesse caso, o barco ancora nas comunidades e nós apresentamos à população daquela comunidade nossas ações e serviços que serão ofertados”, explicou.



Uma tenda é montada ao lado do barco, no qual é feita a triagem e o direcionamento aos atendimentos. “Devido à pandemia, as pessoas são orientadas a entrar no barco uma por vez com equipamentos de proteção individual visando à segurança de todos”, ressaltou Giovani.

Fonte: Agora Guajará

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.